Sobre

O SOS SOBRIEDADE busca promover a prevenção do consumo de álcool e/ou drogas, encaminhar  dependentes químicos ao tratamento e auxiliar todas as pessoas que buscam a qualidade de vida e a sobriedade através da instrução e da informação.  

Equipe de trabalho

Acreditamos que podemos viver uma vida plena sem o uso de álcool e/ou drogas e que podemos valorizar a vida, buscar a sobriedade e recuperar a dignidade humana, através da ajuda mútua, da partilha e da qualidade de vida.

Viver plenamente em sobriedade através da busca constante do equilíbrio físico, mental, emocional e espiritual.

Ajudar as pessoas a serem felizes sem álcool e sem drogas.

“SOZINHOS SOMOS IMPOTENTES, JUNTOS SOMOS FORTES!”

Aqui você encontra ajuda!

O SOS Sobriedade oferece suporte online para dependentes, famílias e qualquer pessoa que está com problemas com álcool e drogas ou tem alguém na família que está sofrendo com a dependência química e não sabe o que fazer!

 

Oferecemos: SOS Palestras e Cursos!

  • Orientação;
  • Recomendações de Clínicas de Recuperação e Comunidades Terapêuticas;
  • Encaminhamento para internação;
  • Indicações de Grupos de Apoio e Terapias;
  • Palestras e cursos;
  • Informações úteis diversas.
 Cursos  completos, de fácil entendimento e aplicação prática!

Aqui você encontra diversos cursos dos mais variados temas e interesses. Para saber mais sobre os cursos, esclarecer dúvidas ou enviar perguntas e sugestões, entre em contato conosco.

SOBRE O AUTOR

PERFIL_RODRIGORodrigo Longo
Conselheiro Terapêutico em Dependência Química certificado pela Federación Latinoamericana de Comunidades Terapéuticas – FLACT

Número de registro: 0017
Email: sossobriedade@gmail.com

Tenho 36 anos, casado e resido na cidade de Avaré, interior de São Paulo.

Sou Administrador de Empresas formado pela Faculdade Estácio de Sá de Ourinhos – FAESO. Há quatro anos, iniciei meu primeiro empreendimento na área da dependência química, o SOS Sobriedade, blog sobre dependência química, com informações, cursos, livros, palestras e suporte a dependentes químicos e familiares, no qual sou administrador, conselheiro terapêutico e redator. Com o crescimento do blog, busquei me especializar na área através de vários cursos. Como resultado deste projeto, fui convidado à trabalhar como conselheiro terapêutico e palestrante em dependência química na Comunidade Terapêutica Nova Jornada, onde atualmente sou coordenador interno de equipe, e faço parte da elaboração e aperfeiçoamento do método de tratamento da instituição. Atualmente, levo o método Nova Jornada para outras Comunidades, onde realizamos treinamento de equipe e implantação do método.

  • Consultor e Palestrante em Dependência Química;
  • Conselheiro Terapêutico formado pela Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas – Febract e certificado pela Federación Latinoamericana de Comunidades Terapéuticas – FLACT;
  • Coordenador interno de equipe na Comunidade Terapêutica Nova Jornada de Avaré-SP;
  • Formado em: “Curso de capacitação para líderes, voluntários, profissionais e gestores de Comunidades Terapêuticas” FMB-UNESP – SENAD (Site);
  • Formado em: Curso de Extensão Universitária em Capacitação para Profissionais, Coordenadores e Monitores de Comunidade Terapêutica pela FEBRACT (Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas);
  • Formado em: “SUPERA – Sistema para Detecção do Uso Abusivo e Dependência de Substâncias Psicoativas: Encaminhamento, Intervenção Breve, Reinserção Social, e Acompanhamento” – 6ª Edição – SENAD – UNIFESP;
  • Formado em: Curso de Formação Continuada em Dependência Química” CTNJ, COMAD – Avaré e CCEV – Taquarituba – SP;
  • Formado em: Curso de Extensão Universitária em Análise do Comportamento” – FSP – Faculdade Sudoeste Paulista – Avaré-SP;
  • Formado em:  Curso de Atualização em Casos Difíceis em Dependência Química – Hospital Cantareira – SP;
  • Formado em: 2º Ciclo de Capacitação para Comunidades Terapêuticas – Coordenação de Políticas sobre Drogas – COED
  • Realização de diversas palestras sobre dependência química. Assista nossas palestras!

Projetos em andamento

Projeto de elaboração do método de tratamento da dependência química na Comunidade Terapêutica Nova Jornada:

  • As drogas e seus efeitos no SNC;
  • Aspectos biopsicossociais da dependência química;
  • Reforçadores concorrentes e prevenção à recaída;
  • Comportamento assertivo, agressivo e passivo.

Como vencer as drogascomo vencer as drogas

7 práticas diárias para VENCER a desintoxicação, SUPERAR os sintomas de abstinência e se LIBERTAR das drogas.

Neste e-book, você vai aprender como vencer as drogas, através de várias técnicas aplicadas nos melhores métodos de tratamento da dependência química. O processo terapêutico, dividido em 3 etapas, vai ajudar você a conhecer a dependência química, como ela age no organismo, como superar a fase de desintoxicação e os sintomas de abstinência e aplicar 7 práticas diárias para se libertar das drogas.

Qualquer pessoa pode aplicar essas práticas para se libertar das drogas

  • Adequado para todos os tipos de dependência
  • Sintomas de abstinência desaparecem através da mudança de hábitos
  • Práticas diárias que melhoram a qualidade de vida
  • Consultoria online esclarecendo dúvidas e orientando sobre como agir em situações específicas

Compra 100% Segura

Produto Revisado e Aprovado

Entrega via e-mail

Você receberá tudo pelo seu e-mail.

De 27,90 Por 9,90

Comprar

Share

24 comments on “Sobre

  1. Olá Rodrigo
    Sou noiva de um adicto em recuperação , viciado em Crack. Me considero uma codependente e busco todos os dias forças e formas de superar tudo o que já vivi e ser um ponto de suporte para que ele consiga sair disso.
    A pessoa com quem me relaciono está a 5 meses limpa novamente, e atualmente está no seguro desemprego e trabalhando de voluntário em uma comunidade, é uma pessoa maravilhosa. Temos um apartamento e desejamos nos casar. Gostaria de saber quais são suas perspectivas e experiencias no sentido de recuperação. e se possível tiver algum material ou curso que possa nos indicar. O meu noivo já fez esse curso pela FEBRACT de monitores. Mas quero incentiva-lo a ajudar pessoas e estar sempre envolvido nas questões de dependencia quimica, de forma a ser uma tentativa para que ele consiga se manter firme.
    Além disso gostaria de saber se possui algum programa para ajuda e auxilio as famílias, ou material no qual possa me encaminhar.

  2. Oi Rodrigo…
    Meu nome é Pedro Ivo Melo, advogado e atualmente em tratamento para o controle da síndrome da dependência química.
    Fiz curso FEBRACT e também UNIAD, embora este último não tenha sido concluído. O assunto em si, me traz enorme desejo de aperfeiçoamento e necessidade de capacitação, para manutenção de minha sobriedade, bem como oferecer à sociedade, informações eficazes para prevenção , tratamento e combate às drogas.
    Ao retomar os estudos do assunto em tela, encontrei seu site e resolvi deixar um comentário visando fomentar parcerias e troca de experiências na área.

  3. Oi Rodrigo, bom dia!
    Meu nome é Patrícia e tenho um afilhado dependente químico (maconha e álcool). Ele diz que está limpo, que já parou com isso sozinho, mas tem comportamento de usuário, mente o tempo inteiro sobre qualquer assunto e parece que não percebe a realidade. Tem muita malandragem, já foi expulso da casa da mãe, o pai também não o quer em casa, a avó também não e eu sou a madrinha que estou tentando ajudar. Passei quinze dias com ele em casa e já estou enlouquecendo, pois tenho 2 filhos, um pequeno e um com 18 anos que nunca usou drogas, mas tenho medo dele acabar experimentando com esse meu afilhado. Não tenho estrutura psicológica para ajudá-lo e por isso estou procurando ajuda profissional.
    Gostaria de saber como funciona o trabalho da clínica, onde fica e como faço pra convencê-lo a se internar???

    • Olá Patrícia, tudo bem? Entendo o seu problema! O SOS Sobriedade não é uma clínica, prestamos informações sobre a dependência química e sobre tratamento. Mas me fala de que região você é para que eu possa tentar localizar algum tipo de ajuda para você? Estou a disposição para ajudá-la!

  4. Olá Rodrigo, pode me chamar por enquanto de “Paulo”. Tenho 30 anos. E aos 20 anos experimentei cocaina. Até então, era só aos finais de semana. Isso aos poucos foi se tornando hábito e durante a semana tbm fazia uso. Tive duas experiências terriveis onde fui parar quase morto no hospital, vendo as lagrimas de meus pais cairem sobre meu corpo enqto eu estava quase infartando. Sou um rapaz de familia, formado, sempre trabalhei e trabalho. Sou um rapaz de familia, mas já tive mts problemas qdo criança relacionado a mãe e pai. Enfim, resumindo… Eu consigui por um tempo ficar longe da cocaína. Tomo antidepressivos pot conta de “N” motivos. Mas ando tendo recaídas… e como fico sozinho, ninguém sabe… tds acham que eu não uso mais! Estou em desespero total, não quero me expor novamente e levar tristeza novamente aos meus entes queridos. Gostaria, de uma ajuda… estou em desespero, eu quero ficar longe disso, eu tenho força de vontade, mas esta sendo dificil essas recaídas. O que eu faço? Acredito que a parte espiritual também possa me ajudar… gostaria muito de receber sua resposta. Obrigado!

    • Olá Paulo, tudo bem? Entendo o seu problema! A parte espiritual é muito importante, com certeza. Porém sugiro que você procure algum tipo de ajuda profissional (psicólogo e psiquiatra), grupos de apoio (Narcóticos Anônimos) e caso não consiga parar ainda assim, sugiro um tratamento em uma clínica ou comunidade terapêutica. Boa sorte e qualquer dúvida me envie uma mensagem pelo formulário de contato: https://sossobriedade.com.br/contato/

  5. Boa tarde, preciso ajudar uma amiga que está com a mãe dependente em crack está precisando internar gratuitamente. Mas como conseguimos ?
    Ela mora em Foz do Iguaçu e a mãe dela está na rua e não aceita o tratamento.

    • Olá Isabela, tudo bem? Infelizmente quando a pessoa não quer fica mais difícil, porém você pode optar por esse caminho:

      A Lei 10.216/2001 define três modalidades de internação psiquiátrica:

      a) internação voluntária: aquela que se dá com o consentimento do usuário;
      b) internação involuntária: aquela que se dá sem o consentimento do usuário e a pedido de terceiro;
      c) internação compulsória: aquela determinada pela Justiça.

      Internação voluntária
      A pessoa que solicita voluntariamente a própria internação, ou que a consente, deve assinar, no momento da admissão, uma declaração de que optou por esse regime de tratamento. O término da internação se dá por solicitação escrita do paciente ou por determinação do médico responsável. Uma internação voluntária pode, contudo, se transformar em involuntária e o paciente, então, não poderá sair do estabelecimento sem a prévia autorização.
      Internação involuntária
      É a que ocorre sem o consentimento do paciente e a pedido de terceiros. Geralmente, são os familiares que solicitam a internação do paciente, mas é possível que o pedido venha de outras fontes. O pedido tem que ser feito por escrito e aceito pelo médico psiquiatra.
      A lei determina que, nesses casos, os responsáveis técnicos do estabelecimento de saúde têm prazo de 72 horas para informar ao Ministério Público do estado sobre a internação e os motivos dela. O objetivo é evitar a possibilidade de esse tipo de internação ser utilizado para a cárcere privado.
      Internação compulsória
      Nesse caso não é necessária a autorização familiar. A internação compulsória é sempre determinada pelo juiz competente, depois de pedido formal, feito por um médico, atestando que a pessoa não tem domínio sobre a própria condição psicológica e física. O juiz levará em conta o laudo médico especializado, as condições de segurança do estabelecimento, quanto à salvaguarda do paciente, dos demais internados e funcionários.

  6. Bom dia Rodrigo!
    Sou Dependente quimico já faz um bom tempo, já tive muitas perdas na minha vida, família ,amigos, trabalho, nunca busquei tratamento, mas não aguento mais tanto sofrimento, por favor me diga por onde começar.

    • Olá Edinaldo, tudo bem? Entendo o seu problema! Na verdade você já começou pedindo ajuda, e isso já é um grande passo! Sugiro que você procure um CAPs AD, ou um grupo de apoio como os Narcóticos Anônimos ou Alcoólicos Anônimos, ou uma ajuda com um profissional especializado (psicólogo / psiquiatra). Eu tenho um ebook que, além de explicar a dependência química e como ela funciona, mostra um passo – a – passo que pode ajudar você a começar o processo de recuperação. Caso se interesse, segue o link abaixo:
      https://sossobriedade.com.br/como-vencer-as-drogas-1/

  7. Boa tarde amigo, gostaria muito de sua ajuda para tratar compulsão por drogas, sempre me controlei com isso mas agora está muito difícil, não quero isso pra mim e pra ninguém, tentamos suprir nossas carências com essas químicas que só fazem piorar a situação, o que vc poderia me ajudar? Desde já agradeço

  8. Olá, gostaria de saber o por que que o dependente químico tem que ficar dopado?
    Meu marido é dependente químico e ele foi no caps passaram diazepam de 10mg e uninal trex de 50mg 1 vez ao dia, ele passa o dia todo topado é sempre assim não tem outro jeito? Pois me doí muito vê-lo nesse estado

  9. BOM DIA MEU NOME É PATRICIA MORA EM FORTALEZA CEARA ,SOU VICIADA EM COCAINA ,PASSEI 03 MESES SEM USAR MAIS TIVE RECAIDA POR FAVOR EU PRECISO DE UM TRATAMENTO URGENTE EM NO ESTADO QUE EU MIM ENCONTRO EU PRECISO SER INTERNADA,MINHA FAMILIA SOFRE JUNTO COMIGO.SERA QUE AQYU EN FORTALEZA VOCE PODE ME INDICAR UM TRATAMENTO DE GRAÇA ,POIS JA PENDEI EM TIRAR MINHA VIDA PARA NAO VER MAIS A MINHA FAMILIA SOFRE POR MINHA CAUSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.