Saiba como os espíritos interferem na dependência de álcool e drogas – SOS Sobriedade

Para o espiritismo, todas as nossas ações têm a interferência espiritual, sejam elas boas ou más. Saiba como os espíritos interferem na dependência de álcool e drogas!

Saiba como os espíritos interferem na dependência de álcool e drogas

Texto de Gabriela Junqueira Balassiano
Blog: Refletindo o Espiritismo

Assim como na Terra desfrutamos da companhia de semelhantes, o mesmo acontece no mundo espiritual e o mesmo, também, acontece entre nós e os irmãos desencarnados.

A vida continua após a morte do corpo, e quando chegamos à outra dimensão não deixamos de ser as mesmas pessoas que aqui na Terra fomos. O homem desencarna e leva consigo seus créditos e débitos morais, desejos e necessidades, ou seja, se quando encarnados tínhamos um vício, depois de desencarnar continuamos com esta dependência gravada em nosso perispírito.

Para um irmão que já está fora de seu corpo carnal continuar desfrutando de todos os seus vícios carnais ele precisa da colaboração direta de quem ficou na Terra, se conectando a nós magneticamente. É o caso, por exemplo, daqueles que têm o vício da bebida. Cada copo de álcool que tomam alimentam, conjuntamente, todos os seus companheiros espirituais, que sentem os prazeres da bebida através do encarnado. Isto vale, ainda, para as drogas, o sexo desvairado e criminoso, o fumo, a gula, os jogos de azar, entre outros.

Como os espíritos interferem na dependência de álcool e drogas
A droga tem um magnetismo que a torna atrativa a negatividade espiritual.

Veja:
E além desses, temos, não menos importantes, os vícios morais como o orgulho, a inveja, a vaidade, o ciúme, a preguiça, o egoísmo, o ódio, a cobiça, a maledicência, entre muitos outros com os quais os irmãos obsessores não dependem de nós para sentí-los, mas se comprazem com a nossa queda e nos estimulam.

Temos a nossa volta diversos espíritos que nos seguem os passos, diariamente, esperando o mínimo deslize para se instalarem e iniciarem uma permuta de energias. Todas as nossas tendências negativas alimentam os irmãos em sintonia vibracional conosco. Todos esses vícios aproximam para nossa vida diária espíritos que se comprazem dessas ações e se alimentam do nosso fluido vital, chegando muitas vezes a uma simbiose espiritual. Eles estão sempre observando, cuidadosamente, as nossas atitudes e pensamentos para se aproveitarem de qualquer oportunidade menos nobre. Basta abrir a porta e eles entram e se instalam.

Os espíritos obsessores nos incitam a continuarmos em nossos vícios terrenos para satisfazerem as suas necessidades próprias e/ou por motivos de vinganças. E essa inspiração é aceita por nós, de bom grado, devido a sintonia que mantemos com eles através da igualdade moral; isto é, nada acontece sem o nosso consentimento. Nunca devemos culpar as influências espirituais por um mal que fazemos contra o próximo ou contra a nós mesmos, pois tudo acontece em parceria, em igualdade de interesses, assim como entre dois amigos encarnados.

Entretanto, uma das grandes maravilhas de nossa existência é sabermos que a vida é eterna e que o espírito está em constante aprendizado, e tudo sob o amor e proteção de um Deus soberanamente justo e bom, que nos presentea, incessantemente, com a chance de mudar o curso da nossa história.

Somos responsáveis e donos dos nossos destinos através do nosso livre-arbítrio. Podemos mudar tudo em nossas vidas a qualquer momento, basta querer. E a grande mudança pode começar no exercício de praticar o bem, agir no bem, querer o bem do próximo e o nosso próprio bem! O bem não somente afasta o mal, mas muitas vezes o transforma!

Lembremos, ainda, que cada um de nós temos um irmão espiritual, conhecido, popularmente, como o nosso Anjo da Guarda. Este espírito protetor que nos acompanha desde o nascimento até a morte e muitas vezes na vida espírita, depois do desencarne. Ele não nos abandona, podendo somente se afastar quando estamos em extrema sintonia com o mal, completamente surdos aos seus bons conselhos; porém, basta um único pedido sincero de ajuda que se faz presente por inteiro.

Façamos nosso exercício diário de nos mantermos no bem. Amemos a Deus, sigamos os ensinamentos que Jesus nos deixou, tenhamos fé, solicitemos a ajuda fraterna do nosso Anjo da Guarda e peçamos forças para nos livrarmos dos vícios e lutarmos pela nossa reforma íntima.

“Ajuda-te que o céu te ajudará.”

Fraternalmente!

Para saber mais sobre espiritualidade acesse: Refletindo o Espiritismo

Tweet

Veja também:                                                                                                          

                                                                                                                                   

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *