Desintoxicação de maconha

Embora algumas pessoas consigam abandonar a maconha sem passar por um tratamento ou programa de recuperação, o acompanhamento por especialistas e programas adequados ainda é necessário. A pessoa que consegue para sozinha, sofre mais por não conhecer os sintomas de abstinência e não aprender a lidar com os fatores psíquicos e emocionais que envolvem a dependência.

Desintoxicação de maconha

O processo de recuperação sob a orientação de um especialista e de um programa eficiente proporciona ao dependente melhor qualidade de vida e pode evitar que ele venha a ter recaídas por não suportar os sintomas de abstinência e desintoxicação.

O que é desintoxicação?

A maconha provoca alterações no funcionamento do sistema nervoso central, produzindo efeitos colaterais que para os usuários são sensações de bem-estar. Quando o usuário interrompe o uso inicia-se o processo de desintoxicação da maconha, ou seja, o processo de limpeza física e mental. Muitos usuários de maconha ficam agressivos após a suspensão do uso, mas isso faz parte dos sintomas de abstinência e do processo de desintoxicação.

Desintoxicação de maconha

É importante saber que alguns especialistas aderem o uso de medicamentos como antidepressivos, ansiolíticos, entre outros, para ajudar o paciente a superar os sintomas de abstinência, mas existem programas de recuperação que buscam tratar da pessoa como um todo e não só dos sintomas. Os medicamentos amenizam os sintomas, mas não recuperam a pessoa, além de correr o risco de adquirir a dependência de medicamentos, que a longo prazo, pode provocar efeitos colaterais e outros distúrbios e doenças, como por exemplo, a depressão.

 

Quando a pessoa usa medicamentos ela desintoxica-se da maconha, porém intoxica-se com medicamentos, o que faz com que a pessoa substitua uma droga pela outra.

Doenças e transtornos correlacionados à dependência de maconha

De acordo com um estudo publicado pelo Jornal da Criança e do Adolescente e do Abuso de Substâncias, a predominância de transtornos coexistentes são comuns. Os pesquisadores descobriram que daqueles que entraram em um programa de tratamento para a dependência de maconha:

  • 74% tinham um transtorno de conduta;
  • 77% tinham TDAH;
  • 37,7% tinham depressão;
  • 28,8% apresentavam distúrbios de ansiedade.

 

Há casos em que alguns dependentes de maconha apresentam diversos transtornos mentais, além da dependência, o que dificulta ainda mais a recuperação. Também há alguns casos que estes transtornos podem contribuir para a dependência. Avaliar estes transtornos e as condições em que o dependente se encontra, pode ajudar a começar as terapias para aliviar os sintomas e a recuperar a pessoa.

O processo de desintoxicação física pode levar de uma a duas semanas, depende do tempo e frequência de uso, porém a desintoxicação psíquica pode levar meses, dependendo da evolução da pessoa no tratamento.

Os benefícios de programas de desintoxicação e recuperação da dependência de maconha

Sabe-se que a recuperação de qualquer dependência de drogas e álcool é difícil, umas mais e outras menos, mas que os sintomas de abstinência são fortes e comprometem a sanidade da pessoa e consomem muita energia. Por isso, um programa de recuperação através da internação torna-se cada vez mais benéfico, visto que, para um dependente é difícil recuperar-se em casa, pois o convívio com os amigos, lugares como bares e pontos de tráfico facilitam a volta ao uso.

A internação ajuda o dependente a se recuperar devido à abstinência forçada, ou seja, não há pessoas e ambientes facilitadores e situações de risco de recaída, e quando o dependente termina o tratamento, ela já passou pelo processo de desintoxicação e abstinência física, e pode retomar a sua vida limpo.

O programa de desintoxicação da maconha

O programa de desintoxicação não recupera a pessoa, é apenas o primeiro passo para a recuperação. Há dois tipos de desintoxicação, a física e a psíquica.

A desintoxicação física:

Nesta fase não há mudança de comportamento e o dependente de maconha supera os sintomas mais críticos como, mal-estar, irritabilidade gerada pela falta da droga, insônia, entre outros. Estes sintomas podem durar além da fase de desintoxicação em determinados casos, o que exige que o dependente continue em observação e cuidados especiais.

A desintoxicação psíquica:

A desintoxicação psíquica pode levar meses e até anos, e está relacionada com os transtornos de conduta e distúrbios mentais. É um processo lento e gradativo, que envolve longas sessões de terapia e acompanhamento. A desintoxicação psíquica só é eficiente mediante um programa de recuperação que busca tratar da pessoa à longo prazo.

O programa de recuperação da dependência da maconha

É mais completo e eficiente que o programa de desintoxicação, por não tratar apenas dos sintomas e da desintoxicação física da pessoa. Os programas de recuperação buscam tratar dos transtornos mais enraizados no dependente, reconstruir certos comportamentos e permitir melhor qualidade de vida à pessoa.

Para evitar recaídas o dependente de maconha deve continuar a manutenção da recuperação através de terapias pessoais e grupais, e outras ferramentas, como atividades esportivas, espiritualidade (conforme a sua religião). Assim, aos poucos, o dependente vai desintoxicando-se dos velhos hábitos e comportamentos, além de recuperam a sua sanidade mental e emocional.

Os grupos de apoio podem ajudar o dependente na manutenção da sua recuperação, a fim de evitar recaídas, como por exemplo, os Narcóticos Anônimos.

 
Curso-Dependência de Maconha: como lidar?
curso “Dependência de Maconha: como lidar?” é direcionado aosprofissionais da área da saúdeeducação a pais de dependentes químicos e qualquer pessoa que desejar saber mais sobre a dependência de maconha!
Existem muitos relatos de pessoas que admitem não serem dependentes de maconha. Acontece que nem sempre é assim, algumas pessoas podem ficar dependentes de maconha.
 
A maconha causa dependência?
 
As pessoas que fumam maconha podem ficar dependentes sim!
 
Em 1993 nos Estados Unidos, mais de 100.000 pessoas que procuraram ajuda em programas de tratamento apontavam o seu uso de maconha como causa da necessidade do tratamento.
 
dependência química é progressiva porque avança, ou seja, vai se tornando cada vez mais grave com o passar do tempo. Aos poucos ela vai comprometendo todas as áreas da vida da pessoa e, naturalmente, se desenvolve fazendo com que o indivíduo necessite de maiores quantidades em maior frequência para obter o mesmo efeito que tinha antes, ou seja, dosagens cada vez maiores. Chamamos esta progressão de tolerância orgânica.
 
Alguns dos consumidores frequentes podem desenvolver tolerância à droga; frequentemente o usuário relata um aumento progressivo da quantidade de maconha que consome.

Assim, este cursos vai mostrar uma visão abrangente sobre a dependência de maconha, a fim de oferecer recursos para que os profissionais da saúde, educadores e pais de dependentes de maconha aprendam a lidar a dependência da maconha, que é uma realidade cada vez mais comum e presente nas nossas vidas.

Quem não tem ou nunca teve alguém na família ou um amigo ou parente que teve problemas com droga? 

Hoje, as drogas são uma realidade e está em todos os lugares, nas ruas, nas escolas, nos grupos de amigos e até na nossa família, e muitas vezes não percebemos que elas estão à nossa volta por falta de conhecimento. Este curso pode ajudar a percebê-las e a lidar com a situação!
 

Sobre o curso “Dependência de Maconha: como lidar?”

 
O curso “Dependência de Maconha: como lidar?” é direcionado ao público geral, desde profissionais da área da saúde, educação a pais de dependentes químicos ou a quem esteja interessado em expandir seus conhecimentos e aprender informações atuais e práticas sobre a dependência de maconha. O curso tem como objetivo responder perguntas frequentes a respeito dessa doença, esclarecendo questões importantes para aqueles que convivem ou trabalham com indivíduos que sofrem desse problema.
 

Professores

Aline Baptistão- Psicóloga CRP 06/94648, Ana Carolina Schimidt – Psicóloga CRP 06/99198 e Dr. Hewdy Lobo Ribeiro CREMESP 114681.
 
Share

One comment on “Desintoxicação de maconha

  1. Conheço vários adolescentes, já prejudicados pelo uso contínuo da maconha. Me preocupa muito, uma vez que tenho um filho de 15 anos. A juventude está encarando o uso dessa droga com se fosse moda. E consigo ver que há muitos jovens: crianças; adolescentes, estudantes de nível superior abandonando o curso pela droga, que já não conseguem ter vida social mais. É lamentável essas vítimas do descaso não conseguirem ter informação sobre as consequências dessa substância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *