Depressão e os sinais de suicídio – SOS Sobriedade

A depressão e as tendências suicidas. Como perceber os indícios de suicídio que uma pessoa com depressão pode apresentar!

Depressão e os sinais de suicídio

Depressão e os sinais de suicídioAntes de falarmos sobre as tendências suicidas e os indícios que uma pessoa com depressão pode apresentar, sugerimos alguns artigos que explicam em detalhes o que é a depressão, os sintomas mais evidentes e as formas de prevenção e tratamentos.

Vale a pena ler!


Muitos de nós estamos preocupados com o fato de não poder reconhecer alguém com tendências suicidas.

De acordo com a severidade da Depressão e a Ansiedade, existem alguns fatores que podem indicar sinais de evolução ao suicídio:

Tentativas anteriores de suicídio:


Entre 20 e 50 por cento das pessoas que se suicidam tinham tentado suicídio anteriormente. Aqueles que já tentaram suicídio estão em um grupo de risco muito maior de fato.

Falar sobre morte ou suicídio:


Pessoas que cometem suicídio muitas vezes falam sobre ele, direta [morte] ou indiretamente [focando apenas fatos]. Esteja atento a declarações como: “… A minha família seria melhor sem mim…” “Só dou problemas mesmo…” Às vezes eles falam conosco como se estivessem dizendo que está “indo embora” ou “planejando uma viagem”.

Planejamento de suicídio:


A tentativa de suicídio é um processo, raramente acontece sem planejamento. Indivíduos suicidas tendem a “organizar as coisas” colocando os negócios em dia. Eles podem doar artigos de valor, quitar dívidas ou o financiamento de bens, ou podem mudar um testamento.

Depressão:


Embora a maioria das pessoas deprimidas não seja suicida, a maioria dos suicidas são pessoas deprimidas.

Grave depressão pode se manifestar, acompanhada de um sentimento de tristeza freqüentemente expresso pela perda de prazer ou abandono de atividades que antes tinham sido agradáveis.

Recomendamos o artigo:


Pessoas deprimidas merecem maior atenção se pelo menos cinco dos sintomas seguintes estiveram quase diariamente presentes durante pelo menos duas semanas:

  • Humor deprimido;
  • Alteração de instintos básicos como fome/apetite/sono/sexo;
  • Perda ou ganho de peso;
  • Falar/Raciocinar com lentidão;
  • Perda de interesse ou prazer em atividades habituais;
  • Diminuição do impulso/desejo sexual;
  • Fadiga ou perda de energia;
  • Sentimentos de inutilidade, remorso, ou culpa (principalmente por “coisas” que deveria ter feito, como se o tempo estivesse acabando);
  • Diminuição/Prejuízo da habilidade de pensar ou concentrar-se;
  • Pensamentos e planos futuros reduzidos;
  • Indecisão (até mesmo sobre o que vestir/comer/);
  • Pensamentos de morte, suicídio, ou desejo de estar morto;
  • Isolamento.

Fatores adicionais que apontam um aumento do risco de suicídio em indivíduos deprimidos são os seguintes:


Extrema ansiedade, agitação, ou comportamento rebelde;
Uso/Abuso excessivo de medicamentos (mesmo sob prescrição médica);
Uso/Abuso de álcool e outras drogas;
História de doença física ou emocional;
Sentimentos de desesperança ou desespero.



Siga a nossa página!

Gostou? Então compartilhe!

Tweet

Recomendamos que leia também



Fontes: http://adroga.casadia.org/depressao/depressao-suicidio.htm


Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *