Versículos da Bíblia – Salmos

Bíblia

Versículos Bíblicos em destaque. Versículos Bíblicos mais bonitos e mais conhecidos. Passagens bíblicas para reflexões e para compartilhar nas redes sociais! Leia mais de Versículos da Bíblia – Salmos

Share

Uso na gravidez de Ciclo 21

gravidez

Ciclo 21 está indicado como contraceptivo oral e para o controle de irregularidades menstruais. Embora tendo eficácia bem estabelecida, há casos de gravidez em mulheres utilizando contraceptivos orais. Saiba sobre o uso na gravidez de Ciclo 21! Leia mais de Uso na gravidez de Ciclo 21

Share

Frases Bíblicas – Reflexões da Bíblia

Bíblia

Frases Bíblicas! Mensagens, versículos para reflexão, frases curtas da Bíblia para compartilhar nas redes sociais. A frase que procura da Bíblia para ler e compartilhar! Leia mais de Frases Bíblicas – Reflexões da Bíblia

Share

5 Dicas de como meditar!

meditação

Os benefícios da meditação são muitos, paz interior, equilíbrio, autoconhecimento, relaxamento da mente entre outros. Conheça 5 Dicas de como meditar! Leia mais de 5 Dicas de como meditar!

Share

5 passos para controlar a mente!

cérebro

A mente do ser humano é muito poderosa e dificilmente é possível ter o total controle sobre ela, mas existem algumas técnicas que podem ajudar a controlar melhor a mente. Confira 5 passos de como controlar a mente! Leia mais de 5 passos para controlar a mente!

Share

15 Coisas Que Você Precisa Abandonar Para Ser Feliz!

15 Coisas Que Você Precisa Abandonar Para Ser Feliz!
Você quer ser feliz? Para ser feliz temos quer abrir mão de certos hábitos e pensamentos, e nos conduzir à uma mudança íntima. Conheça 15 coisas que você precisa saber para ser feliz!

15 coisas que você precisa abandonar para ser feliz

Tradução, o texto original e em inglês é do World Observer Online.

1. Desista da sua necessidade de estar sempre certo

Desista da sua necessidade de estar sempre certoHá tantos de nós que não podem suportar a ideia de estarem errados – querem ter sempre razão – mesmo correndo o risco de acabar com grandes relacionamentos ou causar estresse e dor, para nós e para os outros. E não vale a pena, mesmo. Sempre que você sentir essa necessidade “urgente” de começar uma briga sobre quem está certo e quem está errado, pergunte a si mesmo: “Eu prefiro estar certo ou ser gentil?” (Wayne Dyer) Que diferença fará? Seu ego é mesmo tão grande assim?



2. Desista da sua necessidade de controle

 Desista da sua necessidade de controle

Estar disposto a abandonar a sua necessidade de estar sempre no controle de tudo o que acontece a você e ao seu redor – situações, eventos, pessoas, etc. Sendo eles entes queridos, colegas de trabalho ou apenas estranhos que você conheceu na rua – deixe que eles sejam. Deixe que tudo e todos sejam exatamente o que são e você verá como isso irá o fazer se sentir melhor.

“Ao abrir mão, tudo é feito. O mundo é ganho por quem se desapega, mas é necessário você tentar e tentar. O mundo está além da vitória.” Lao Tzu.




3. Pare de culpar os outros

Pare de culpar os outrosDesista desse desejo de culpar as outras pessoas pelo que você tem ou não, pelo que você sente ou deixa de sentir. Pare de abrir mão do seu poder e comece a se responsabilizar pela sua vida.

           

BEBE E CAOZINHO 2

4. Abandone as conversinhas auto-destrutivas

Abandone as conversinhas auto-destrutivas

Quantas pessoas estão se machucando por causa da sua mentalidade negativa, poluída e repetidamente derrotista? Não acredite em tudo o que a sua mente está te dizendo – especialmente, se é algo pessimista. Você é melhor do que isso.

“A mente é um instrumento soberbo, se usado corretamente. Usado de forma errada, contudo, torna-se muito destrutiva.” Eckhart Tolle.
 







5. Deixe de lado as crenças limitadoras

Deixe de lado as crenças limitadorasCrenças limitadoras sobre quem você pode ou não ser, sobre o que é possível e o que é impossível. De agora em diante, não está mais permitido deixar que as suas crenças restritivas te deixem empacado no lugar errado. Abra as asas e voe!
“Uma crença não é uma ideia realizada pela mente, é uma ideia que segura a mente.” Elly Roselle.

6. Pare de reclamar

Pare de reclamar

Desista da sua necessidade constante de reclamar daquelas várias, várias, váaaarias coisas – pessoas, momentos, situações que te deixam infeliz ou depressivo. Ninguém pode te deixar infeliz, nenhuma situação pode te deixar triste ou na pior, a não ser que você permita. Não é a situação que libera esses sentimentos em você, mas como você escolhe encará-la. Nunca subestime o poder do pensamento positivo.

7. Esqueça o luxo de criticar

Esqueça o luxo de criticar

Desista do hábito de criticar coisas, eventos ou pessoas que são diferentes de você. Nós somos todos diferentes e, ainda assim, somos todos iguais. Todos nós queremos ser felizes, queremos amar e ser amados e ser sempre entendidos. Nós todos queremos algo e algo é desejado por todos nós.

8. Desista da sua necessidade de impressionar os outros

Desista da sua necessidade de impressionar os outros

Pare de tentar tanto ser algo que você não é só para que os outros gostem de você. Não funciona dessa maneira. No momento em que você pára de tentar com tanto afinco ser algo que você não é, no instante em que você tira todas as máscaras e aceita quem realmente é, vai descobrir que as pessoas serão atraídas por você – sem esforço algum.

9. Abra mão da sua resistência à mudança

Abra mão da sua resistência à mudançaMudar é bom. Mudar é o que vai te ajudar a ir de A a B. Mudar vai melhorar a sua vida e também as vidas de quem vive ao seu redor. Siga a sua felicidade, abrace a mudança – não resista a ela.
“Siga a sua felicidade e o mundo abrirá portas para você onde antes só havia paredes” Joseph Campbell.

10. Esqueça os rótulos

Esqueça os rótulosPare de rotular aquelas pessoas, coisas e situações que você não entende como se fossem esquisitas ou diferentes e tente abrir a sua mente, pouco a pouco. Mentes só funcionam quando abertas.
“A mais extrema forma da ignorância é quando você rejeita algo sobre o que você não sabe nada” Wayne Dyer.

11. Abandone os seus medos

Abandone os seus medosMedo é só uma ilusão, não existe – você que inventou. Está tudo em sua cabeça. Corrija o seu interior e, no exterior, as coisas vão se encaixar.
“A única coisa de que você deve ter medo é do próprio medo” Franklin D. Roosevelt.

12. Desista de suas desculpas

Desista de suas desculpasMande que arrumem as malas e diga que estão demitidas. Você não precisa mais delas. Muitas vezes nos limitamos por causa das muitas desculpas que usamos. Ao invés de crescer e trabalhar para melhorar a nós mesmos e nossas vidas, ficamos presos, mentindo para nós mesmos, usando todo tipo de desculpas – desculpas que, 99,9% das vezes, não são nem reais.

13. Deixe o passado no passado

Deixe o passado no passadoEu sei, eu sei. É difícil. Especialmente quando o passado parece bem melhor do que o presente e o futuro parece tão assustador, mas você tem que levar em consideração o fato de que o presente é tudo que você tem e tudo o que você vai ter. O passado que você está desejando – o passado com o qual você agora sonha – foi ignorado por você quando era presente. Pare de se iludir. Esteja presente em tudo que você faz e aproveite a vida. Afinal, a vida é uma viagem e não um destino. Enxergue o futuro com clareza, prepare-se, mas sempre esteja presente no agora.

14. Desapegue do apego

Desapegue do apegoEste é um conceito que, para a maioria de nós é bem difícil de entender. E eu tenho que confessar que para mim também era – ainda é -, mas não é algo impossível. Você melhora a cada dia com tempo e prática. No momento em que você se desapegar de todas as coisas, (e isso não significa desistir do seu amor por elas – afinal, o amor e o apego não têm nada a ver um com o outro; o apego vem de um lugar de medo, enquanto o amor… bem, o verdadeiro amor é puro, gentil e altruísta, onde há amor não pode haver medo e, por causa disso, o apego e o amor não podem coexistir), você irá se acalmar e se virá a se tornar tolerante, amável e sereno… Você vai alcançar um estado que te permita compreender todas as coisas, sem sequer tentar. Um estado além das palavras.

15. Pare de viver a sua vida segundo as expectativas das outras pessoas

Pare de viver a sua vida segundo as expectativas das outras pessoasPessoas demais estão vivendo uma vida que não é delas. Elas vivem suas vidas de acordo com o que outras pessoas pensam que é o melhor para elas, elas vivem as próprias vidas de acordo com o que os pais pensam que é o melhor para elas, ou o que seus amigos, inimigos, professores, o governo e até a mídia pensa que é o melhor para elas. Elas ignoram suas vozes interiores, suas intuições. Estão tão ocupadas agradando todo mundo, vivendo as suas expectativas, que perdem o controle das próprias vidas. Isso faz com que esqueçam o que as faz feliz, o que elas querem e o que precisam – e, um dia, esquecem também delas mesmas. Você tem a sua vida – essa vida agora – você deve vivê-la, dominá-la e, especialmente, não deixar que as opiniões dos outros te distraiam do seu caminho.
Share

Praticando a meditação – Desfazendo-se dos sentimentos e emoções reprimidas.

Se conseguirmos reconhecer e transformar os nós interiores, descritos no texto “Os 10 nós interiores”, que estão no fundo da nossa consciência, isto levará a liberdade e à cura. É a transformação de base, que busca a raiz destes nós interiores que estão no lugar mais íntimo da estrutura da nossa consciência.

Tweet

Praticando a meditação

Desfazendo-se dos sentimentos e emoções reprimidas

Os desejos, medos e sentimentos que são reprimidos, ficam como sementes que não recebem oxigênio e água para crescerem e transformarem em algo belo. O resultado disso são os sintomas que surgem no corpo e na alma, distorções da realidade e disfunções que adoecem o ser como um todo.

Praticando a meditação – Desfazendo-se dos sentimentos e emoções reprimidas.

Muitas vezes não queremos encarar os sentimentos de dor e emoções negativas, temos o hábito de agir como se elas não existissem ou não tivessem tanta importância, e esquecemos e viramos as costas acreditando que elas passam se consumirmos mais coisas. Uma maneira de fugir desses sentimentos de dor.

Assistimos aos programas de televisão, ouvimos rádio, folheamos livros, lemos jornais, conversamos, jogamos cartas e bebemos bebidas alcoólicas, tudo para esquecer.

Praticando a meditação – Desfazendo-se dos sentimentos e emoções reprimidas.

Chega uma hora que não há mais como preencher o vazio e tudo parece não satisfazer mais, então surgem os sintomas de doenças no corpo. Nesta hora a repressão não é mais suficiente, e temos que reconhecer estas formações mentais reprimidas e transformá-las em algo bom e positivo.

Meditar mesmo que seja por cinco ou dez minutos diários pode ajudar a diminuir a energia mental negativa que alimenta sentimentos e emoções venenosas e também é uma maneira de não reprimir estes sentimentos de sofrimento. Aos poucos estas energias mentais negativas vão diminuindo até desaparecerem, pois cederão espaço às energias mentais positivas.

por Rodrigo Longo

Tweet

 Veja Também!

Dicas de meditação – Despertando a consciência

Como aproveitar melhor a meditação!

A prática da meditação – Os 10 nós interiores

O sofrimento – O caminho para a realização espiritual

A mente de renúncia – O desapego da ignorância e do sofrimento

Dados do Artigo:

Praticando a meditação – Desfazendo-se dos sentimentos e emoções reprimidas.
Espiritualidade
Os sentimentos e emoções reprimidas podem gerar distorções da realidade e disfunções que podem adoecer o corpo e a alma. Saiba mais!

Fontes:
MEDITAÇÃO E CURA!
16 de setembro de 2013 – Disponível em:  http://budavirtual.com/2013/09/16/meditacao-e-cura/

Share

A prática da meditação – Os 10 nós interiores

A meditação é capaz de despertar a nossa consciência para os nossos nós interiores e complexos de identidade. Os nós interiores são um conjunto de ilusões, repressões, medos e ansiedades que se cristalizaram no lugar mais íntimo e profundo da nossa consciência. Estes nós são capazes de nos constranger e nos levar a fazer, dizer e pensar coisas que na realidade não queremos fazer, dizer ou pensar. Saiba mais sobre os 10 nós da consciência!

Tweet

A prática da meditação – Os 10 nós interiores

Os nós interiores são plantados e alimentados pela falta da nossa consciência desperta durante toda a nossa vida, e são:

Ganância;A prática da meditação - Os 10 nós interiores

Ódio;

Ignorância;

Vaidade;

Desconfiança;

Fixação no corpo como se fosse o eu (falta de percepção do eu físico, mental, emocional e espiritual);

Pontos de vista extremados e preconceitos;

Apego a ritos e rituais;

Ânsia de imortalidade;

Desejo ardente de manter as coisas exatamente como são (comodismo).

A nossa saúde e felicidade dependem em grande parte da nossa habilidade em transformar esses dez nós interiores.

 A prática da meditação - Os 10 nós interiores

A mente alerta consegue identificar os nós interiores quando eles aparecem na nossa consciência. Esses nós se formaram no passado e grande parte deles são energias transmitidas por nossos pais e avós. Mas nem sempre precisamos cavar os buracos emotivos das nossas lembranças para descobrir as raízes destas perturbações da nossa mente. Aquele que desperta a sua consciência é capaz de reconhecer as formações interiores no momento em que elas se manifestam e consegue olhar profundamente para dentro delas, a fim de enxergar as raízes desses nós emaranhados.

A prática da meditação nos ajuda a correlacionar fenômenos e a interdependência entre eles. Não há fenômeno, seja ele humano ou material, que possa aparecer por si só e durar por si só. Uma coisa depende da outra para surgir e durar, portanto, não há efeito sem causa. Assim para atingir o ápice da meditação e resolver os nossos distúrbios internos, devemos entrar em contato com as causas responsáveis por nossas emoções, nossos sofrimentos e nossas necessidades mais íntimas e analisar a correlação entre elas, através da consciência desperta e da reflexão íntima do nosso eu.

por Rodrigo Longo

Tweet

 Veja Também!

Dicas de meditação – Despertando a consciência

Como aproveitar melhor a meditação!

Prática da meditação – Os tipos de consciência

O sofrimento – O caminho para a realização espiritual

A mente de renúncia – O desapego da ignorância e do sofrimento

Dados do Artigo:

A prática da meditação – Os 10 nós interiores
Espiritualidade
Os nós interiores são um conjunto de ilusões, repressões, medos e ansiedades que se cristalizaram no lugar mais íntimo e profundo da nossa consciência. Saiba mais!

Fontes:
MEDITAÇÃO E CURA!
16 de setembro de 2013 – Disponível em:  http://budavirtual.com/2013/09/16/meditacao-e-cura/

Share

Como aproveitar melhor a meditação!

É importante saber o objetivo que se deseja atingir com a meditação e a condição mental que buscamos alcançar. Por isso, saber o real objetivo de cada meditação garante a nossa mente conseguir a conclusão correta e não uma conclusão incorreta ou irrelevante.

Tweet

Como aproveitar melhor a meditação!

Conclusões erradas na meditação podem nos deixar para baixo devido à falta de compreensão do nosso eu e do que se quer alcançar com a meditação. Mas qual é a conclusão, onde queremos chegar com a meditação?

Como aproveitar melhor a meditação!

Para responde esta pergunta é preciso, através da própria meditação,  entender que a mente centrada no ego é o verdadeiro inimigo que destrói a nossa felicidade. Colocar o ego como o centro de tudo é um erro, pois o ego não é parte do meu eu, não é quem eu sou. É um pensamento incorreto, profundamente enraizado e que cria problemas. Ao invés disso, preciso abandonar o egocentrismo, desagarrar do ego como centro do nosso eu.

Como aproveitar melhor a meditação!

Por exemplo, ao meditar sobre as desvantagens do pensamento centrado no ego, nossa mente pode distorcer essa meditação e concluir: “sou uma pessoa horrível por ser tão egoísta”. Essa é a conclusão errada que se chega com essa meditação. O objetivo da meditação não é nos colocarmos para baixo, isso é um velho hábito que já tínhamos e que se não compreendermos a finalidade da meditação ele vai se repetir sempre.

Portanto, ao invés de continuar acorrentado pelos velhos hábitos de pensar e sentir negativamente, podemos nos libertar disso tudo dizendo para nós mesmos: Já que quero ser feliz, vou compreender minhas atitudes egoístas pelo que elas são, e vou parar de segui-las! Em vez disso, vou cultivar o amor e a compaixão por todos os seres. Essa é a conclusão que todos nós queremos chegar.

Por Rodrigo Longo

“A meditação não é uma prática para tentar atingir o êxtase, bem-aventurança espiritual, ou tranquilidade, nem é a tentativa de se tornar uma pessoa melhor. é simplesmente a criação de um espaço em que somos capazes de expor e desfazer os nossos jogos neuróticos, dos nossos autoenganos, nossos medos e esperanças escondidas”.

(Chogyan Trungpa)

Tweet

 Veja Também!

Dicas de meditação – Despertando a consciência

A prática da meditação – Os 10 nós interiores

Prática da meditação – Os tipos de consciência

O sofrimento – O caminho para a realização espiritual

A mente de renúncia – O desapego da ignorância e do sofrimento

Dados do Artigo:

Como aproveitar melhor a meditação!
Espiritualidade
Confira algumas dicas para aproveitar melhor a meditação e alcançar o objetivo desejado!

Fontes:
MEDITAÇÃO E CURA!
16 de setembro de 2013 – Disponível em:  http://budavirtual.com/2013/09/16/meditacao-e-cura/

Share

Prática da meditação – Os tipos de consciência

Para praticar a meditação vimos que é necessário conhecer os caminhos da mente, como funciona o fluxo mente – emoção – corpo. A consciência desperta para este fluxo nos leva ao contato íntimo com os nossos nós interiores através da meditação, que busca desfazer estes nós e resolver ilusões emocionais, frutos de nossa ignorância, e assim, alcançar a paz de espírito e a felicidade.

Tweet

Prática da meditação

Os tipos de consciência

O budismo fala dos seguintes dos tipos de consciência:

Consciência dos cinco sentidos

A visão, audição, olfato, paladar e tato. Este tipo de consciência é a mais superficial das consciências, pois permite somente o contato com o mundo externo e material. Este tipo de consciência percebe o corpo físico e não perceber os outros tipos consciências, pode resultar o que chamamos de “ilusão de ótica” da percepção do todo corpóreo (físico, mental, emocional e espiritual).

Consciência de identidade

É a consciência que existe um eu separado, independente e duradouro, contrário àquelas coisas que não são o eu. Por exemplo, quando compramos coisas para o nosso prazer e conforto, como um carro, uma roupa bonita, um celular, pensamos que aquele desejo está relacionado ao eu, pois achamos que o nosso eu, para ser completo, necessita de coisas e pessoas.

 

Prática da meditação - Os tipos de consciênciaAssociamos o status ao nossos eu, associamos o relacionamento com outra pessoa com a felicidade do nosso eu, associamos a autoestima com bens materiais como forma de completar o o valor do nosso eu, enfim, projetamos o conceito de identidade do nosso eu nas coisas e pessoas. Podemos também associar emoções e sentimentos com o nosso eu, como a raiva, a inveja, o desejo, entre outros, como parte formadora do nosso eu. É comum ouvir as pessoas dizerem: Ah! Eu sou assim mesmo!

Não somos assim! Na verdade o nosso eu carrega tudo isso ao longo da nossa vida, como um imã que vai atraindo os metais que estão por perto. Quando o imã está coberto de metal, parece que o imã e os metais são uma coisa só, mas não, o imã é uma identidade separada dos metais e os metais são só partes agregadas a ele, mas não fazem parte da sua composição. O nosso eu é uma identidade separada e independente das coisas, pessoas, emoções e sentimentos, e estas coisas uma hora fazem parte da nossa vida, e outra hora elas se vão.

Depósito de consciência

É tudo o que colocamos na nossa consciência. É como um jardim que contém todo tipo de sementes onde, o jardim é a nossa consciência e as sementes são as coisas, experiências, emoções e sentimentos que vamos depositando nela.

Consciência da mente

É como o jardineiro que cuida das sementes depositadas no jardim. A consciência da mente trabalha o tempo todo, plantando, cuidando e excluindo pensamentos, sentimentos e emoções.

por Rodrigo Longo

Tweet

 Veja Também!

Dicas de meditação – Despertando a consciência

Como aproveitar melhor a meditação!

A prática da meditação – Os 10 nós interiores

O sofrimento – O caminho para a realização espiritual

A mente de renúncia – O desapego da ignorância e do sofrimento

Dados do Artigo:

Prática da meditação – Os tipos de consciência
Espiritualidade
Conheça os tipos de consciência e os caminhos entre mente – emoção – corpo, necessários para a prática da meditaçãoe para o contato íntimo com os nossos 10 nós interiores da consciência!

Fontes:
MEDITAÇÃO E CURA!
16 de setembro de 2013 – Disponível em:  http://budavirtual.com/2013/09/16/meditacao-e-cura/

Share