ALCOOLISMO IMPULSIONA INDÚSTRIA DO FALSO ATESTADO MÉDICO 

álcool no trabalho

Ressacados, principalmente no início da semana, trabalhadores pagam por documentos ilegais que os livram da obrigação de ir ao serviço. Leia o artigo…

Não bastasse a destruição de 7,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país todos os anos, o alcoolismo tem impulsionado a invisível e criminosa indústria do falso atestado médico. Ressacados, principalmente no início da semana, trabalhadores pagam por documentos ilegais que os livram da obrigação de ir ao serviço. As ausências forjadas pelo álcool alimentam a prática da falsidade ideológica e atingem em cheio a produtividade de empresas e órgãos públicos.

Nos grandes centros é comum encontrar homens que, identificados com coletes, dizem trabalhar com “ouro e atestado médico admissional”, mas que também encaminham trabalhadores que buscam atestado médico para justificar faltas ao trabalho a um segundo profissional, que por sua vez é responsável por fazer um atendimento preliminar e ali mesmo conseguir o atestado médico, depois de algum tempo de espera.

álcool no trabalho

Quem vende atestado ilegal comete crimes, como o de falsidade ideológica, cuja pena pode chegar a cinco anos de reclusão. Os médicos que emitem o documento podem ser enquadrados no delito específico de falsidade de atestado médico, com punição que varia de um mês a um ano de detenção. Já quem apresenta atestado médico falso no trabalho fica sujeito à demissão por justa causa. No ano passado, um jovem de 26 anos, morador de Vitória (ES), conseguiu uma liberação do serviço alegando estar com sinusite. Acabou desmascarado pela empresa e, além de perder o emprego, foi levado à delegacia pelo crime de uso de documento falso.

Violência além das fraudes no trabalho, o álcool encoraja para o crime ou conduz a ele sem avisar. Qualquer agente de segurança pública tem consciência do efeito do alcoolismo na criminalidade, principalmente a que ocorre dentro de casa. Se as estatísticas são frágeis, a rotina das delegacias por si só reflete essa constatação. Mesmo aqueles que jamais se considerariam viciados em bebida ficam sujeitos a, impelidos pela embriaguez, cometer atos de violência.

Extraído de: http://www.antidrogas.com.br/mostranoticia.php?c=7542&msg=Alcoolismo%20impulsiona%20ind%FAstria%20do%20falso%20atestado%20m%E9dico

Busque ajuda!

Muitas vezes, devido ao consumo do álcool, o usuário coloca em risco aspectos importantes de sua vida, tais como família, emprego, saúde. Além disso pode não perceber os problemas decorrentes deste uso ou mesmo negá-los. Nesses momentos, não é raro os membros da família apresentarem sentimentos de raiva ou impotência frente ao usuário ou a situação.
Essas ocasiões deveriam se transformar em buscas de ajuda em unidades de saúde, conversas com um profissional e pessoas de referência na sua comunidade, adesão a grupos de ajuda e cursos.

Dependência do Álcool:Como lidar?


Para lidar com um dependente do álcool, primeiro é preciso conhecer a doença, os sintomas de abstinência, a prevenção de recaídas e as questões psíquicas e emocionais que envolvem a dependência química.

A família é parte importante na recuperação do dependente químico!

 


Busque informações corretas sobre a dependência do álcool e o tratamento correto, bem como a melhor maneira de lidar com o problema.
Aqui você encontra alguns cursos completos sobre como lidar com a dependência do álcool, e assim poder ajudar a pessoa que sofre com este problema. Vale a pena fazer!

 

Curso Dependência de Álcool: como lidar?Curso Dependência de Álcool: como lidar?

É direcionado ao público geral, desde profissionais da área da saúde, educação a pais de dependentes químicos. Desenvolvido com linguagem rápida e de fácil compreensão. Leituras de textos, vídeo aula, vídeos sobre o tema, textos complementares e questionários. Mais informações >>

Para saber mais informações ou esclarecer dúvidas entre em contato conosco: sossobriedade@gmail.com

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *