A espiritualidade no tratamento da dependência química

A espiritualidade tem sido referida por ser de fundamental  importância no tratamento e na recuperação de dependentes. Alcoólicos Anônimos (AA) e outros programas de mútua-ajuda estabelecidos mundialmente têm a recuperação baseada nos “Doze Passos”, que enfatiza  a confiança em um “Poder Superior”, a prática da prece e da meditação para promover uma experiência religiosa e um contato consciente com Deus.
Diferença entre espiritualidade e religiosidade
Nas últimas décadas os termos “espiritualidade” e “religião” têm se distinguido na sua conceituação.
Os psicólogos colocam a espiritualidade como uma característica dos indivíduos, aquilo que seja capaz de produzir no ser humano uma mudança interior.Tais mudanças interiores são verdadeiras transformações alquímicas, capazes de dar um novo sentido à vida ou de abrir novos campos de experiência e de profundidade rumo ao próprio coração e ao mistério de todas as coisas. A espiritualidade vem sendo descoberta como dimensão profunda do humano, como o momento necessário para desabrochá-lo pleno de nossa individuação e como espaço da paz no meio dos conflitos e desolações sociais e existenciais.
Por outro lado a Religião é normalmente caracterizada como um fenômeno social, definido por limites particulares como crença, prática de preceitos estipulados e uma espécie de “aliança” social.
Religiosidade (qualidade de ser religioso, de ter uma religião) é um aspecto da espiritualidade do indivíduo (e muitas vezes é um caminho para que se alcance a espiritualidade). Ao mesmo tempo, a religião não deixa de ser um caminho da evolução humana para a vida espiritual.
Não é raro que a pessoa tenha religiosidade e espiritualidade ao mesmo tempo (um complementaria o outro), mas não necessariamente isto sempre vai acontecer pois não é necessária uma religião específica para que você tenha espiritualidade.
O AA se define como um programa auto-avaliado em “espiritual”, mas não “religioso”, portanto aberto até mesmo a ateístas.
Como funciona a espiritualidade no tratamento da Dependência Química?
A dependência química é uma patologia que está ligada à falta de limites e a dificuldade de lidar com as dificuldades, frustrações, inerentes a vida humana –  é uma das patologias psiquiátricas mais graves do século 21. A cada dia, observam-se complicações como conflitos familiares, aumento nos índices de  agressividade, suicídio e internações emergenciais por overdose e conseqüente óbitos como fatores presentes no cotidiano da dependência química.
Não é raro encontrarmos pessoas que se desenvolveram muito na dimensão intelectual, que têm sucesso na profissão, mas são pessoas frágeis emocionalmente e ignoram a importância da vida espiritual. Este descompasso causa uma insatisfação interior muito grande. Quantos jovens se drogam por não encontrarem um sentido para suas vidas ou porque não conseguem lidar com suas inquietações interiores que na maioria das vezes nem sabem nomear?
O ser humano, para ser feliz precisa desenvolver as três dimensões da vida (física, emocional e espiritual)de forma harmoniosa.
Quando um dependente vai para um tratamento em uma clínica de recuperação que tem como bases os 12 Passos e a reabilitação psicossocial, recebe ali um apoio que engloba as três dimensões do ser humano: física, emocional, e espiritual.
Os indivíduos, quando já tragados pela dependência química, estão no seu todo disfuncionais, estão com sérios comprometimentos orgânicos, psicológicos e neurológicos. Seus relacionamentos tanto familiares quanto sociais se encontram abalados.
O dependente químico troca o amor pelas drogas, deixa de se amar e de amar qualquer ente querido. A droga passa a ser um poder superior, que faz com o dependente perca totalmente o contato com Deus amantíssimo, o que faz com que cada dia mais ele se deixe destruir pela sua doença.
Através da espiritualidade os dependentes químicos que se predispõem a um tratamento entram em um processo de abertura interior, começando a observar a dependência química por outro prisma, isto é, começam a perceber o caminho percorrido, atingindo a maturidade para balancear o positivo e negativo de sua doença  – assim também como o reconhecimento dos defeitos de caráter, as máscaras que se deixam cair – e descobrindo que, o que parecia bom e prazeroso tornou-se um pesadelo.
No entanto, o desenvolvimento espiritual não os deixa ressentidos e amargurados, pois, ao mesmo tempo em que conseguem ver as conseqüências negativas da dependência em suas vidas, estão num processo de perdão a si próprio, pois, sabem que tudo de negativo vivenciado foi conseqüência do uso e dependência de drogas, e também da sua forma de se comportar e perceber o mundo.
Através da espiritualidade se tem oportunidade de fazer uma análise de vida, saber quais são suas qualidades, quais são os seus sentimentos e quais comportamentos deve ser mudados, muitas vezes neste momento é que acontece o “despertar espiritual”.
Estudos sobre espiritualidade e dependência química                         
Não são poucas as publicações científicas e profissionais que discutem espiritualidade e dependência química. Há vasta e rica literatura a respeito do benefício da espiritualidade no tratamento da dependência química.
O Fetzer Institute, em colaboração com o NIAAA (National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism) solicitou e financiou uma série de estudos científicos sobre alcoolismo e espiritualidade. Os dados disponíveis sugerem um aumento do interesse e da prática espirituais enquanto diminui a dependência por substâncias.
 Conclusões
Existem muitos mitos e preconceitos em torno da dependência química. É comum aqueles que estejam envolvidos com drogas serem taxados de vários adjetivos negativos, serem olhados com indiferença por grande parte da sociedade. É também muito comum os familiares serem responsabilizados como se fossem culpados por seus filhos terem contraído a doença da dependência química e assim, serem também excluídos de seus meios sociais.
É necessário que desapareçam os obstáculos ocasionados pela desinformação assim como a falta de interesse na prevenção e no tratamento.
Infelizmente, a espiritualidade ainda é algo desconhecido para a vasta maioria das pessoas. Porém, é uma das diversas ferramentas disponíveis no tratamento da dependência química, que tem comprovado bons resultados tanto para dependentes químicos quanto para suas famílias.
Se o desenvolvimento espiritual pode originar a sobriedade e recuperação em dependentes, é natural que seja considerado como um tratamento suplementar.

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS!


Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *