Drogas ilícitas

As drogas ilícitas são substâncias proibidas de serem produzidas, comercializadas e consumidas. Em alguns países, determinadas drogas são permitidas sendo que seu uso é considerado normal e integrante da cultura. Tais substâncias podem ser estimulantes, depressivas ou perturbadoras do sistema nervoso central, o que perceptivelmente alteram em grande escala o organismo.

Tweet

Drogas ilícitas

São drogas ilícitas: maconha, cocaína, crack, ecstasy, LSD, inalantes, heroína, barbitúricos, morfina, skank, chá de cogumelo, anfetaminas, clorofórmio, ópio e outras. Por serem proibidas, as drogas ilícitas entram no país de forma ilegal através do tráfico que promove a comercialização negra, ou seja, a comercialização feita sem a autorização das autoridades.

 drogas ilicitas

Dentre as consequências que as drogas ilícitas trazem pode-se dar ênfase à violência gerada por elas em todas as fases de produção até o consumidor final. As demais consequências são: arritmia cardíaca, trombose, AVC, necrose cerebral, insuficiência renal e cardíaca, depressão, disforia, alterações nas funções motoras, perda de memória, disfunções no sistema reprodutor e respiratório, câncer, espinhas, convulsões, desidratação, náuseas e exaustão.

 tipos de drogas

É importante esclarecer que a dependência das drogas é tratável. Existem clínicas de recuperação, comunidades terapêuticas, grupos de apoio (Narcóticos Anônimos, Alcoólicos Anônimos, e outros) e através do auxílio médico e familiar uma pessoa pode tratar da dependência e voltar a ter uma vida normal sem que necessite usar substâncias que criam falsas necessidades no organismo.

Tweet

 Veja Também!

Cocaína – Efeitos

Quanto tempo a cocaína demora para sair do sangue?

Droga Heroína

Heroína – Efeitos

Metanfetamina – Efeitos chocantes

Dados do Artigo:

Drogas ilícitas
Tipos de drogas
As drogas ilícitas são aquelas proibidas por lei. Tais substâncias podem causar sérios danos ao nosso organismo. Saiba mais!

Fonte:http://www.brasilescola.com/drogas/drogas-ilicitas.htm

Share

Anabolizantes – Tipos de drogas

Os esteróides anabolizantes, mais conhecidos apenas com o nome de anabolizantes, são drogas relacionadas ao hormônio masculino Testosterona fabricado pelos testículos.

Tweet


Anabolizantes– Tipos de drogas

Os anabolizantes possuem vários usos clínicos, nos quais sua função principal é a reposição da testosterona nos casos em que, por algum motivo patológico, tenha ocorrido um déficit.
 

Além desse uso médico, eles têm a propriedade de aumentar os músculos e por esse motivo são muito procurados por atletas ou pessoas que querem melhorar a performance e a aparência física. Segundo especialistas, o problema do abuso dessas drogas não está com o atleta consagrado, mas com aquela “pessoa pequena que é infeliz em ser pequena”. Esse uso estético não é médico, portanto é ilegal e ainda acarreta problemas à saúde.

 anabolizantes

Os esteróides anabolizantes podem ser tomados na forma de comprimidos ou injeções e seu uso ilícito pode levar o usuário a utilizar centenas de doses a mais do que aquela recomendada pelo médico. Frequentemente, combinam diferentes esteróides entre si para aumentar a sua efetividade. Outra forma de uso dessas drogas, é toma-las durante 6 a 12 semanas, ou mais e depois parar por várias semanas e recomeçar novamente.
 

No Brasil não se tem estimativa deste uso ilícito, mas sabe-se que o consumidor preferencial está entre 18 a 34 anos de idade e em geral é do sexo masculino.
 

Nos USA, em 1994, mais de um milhão de jovens já tinham feito uso de esteróides anabolizantes.

Alguns usuários chegam a utilizar produtos veterinários à base de esteróides, sobre os quais não se tem nenhuma idéia sobre os riscos do uso em humanos.

Efeitos adversos

Alguns dos principais efeitos do abuso dos esteróides anabolizantes são: tremores, acne severa, retenção de líquidos, dores nas juntas, aumento da pressão sangüínea, DHL baixo (a forma boa do colesterol), icterícia e tumores no fígado. Além desses, aqueles que se injetam ainda correm o perigo de compartilhar seringas e contaminar-se com o vírus da Aids ou hepatite.

 efeitos anabolizantes

Outros efeitos dos anabolizantes

Além dos efeitos mencionados, outros também graves podem ocorrer:

No homem: os testículos diminuem de tamanho, a contagem de espermatozóides é reduzida, impotência, infertilidade, calvície, desenvolvimento de mamas, dificuldade ou dor para urinar e aumento da próstata.

Na mulher: crescimento de pêlos faciais, alterações ou ausência de ciclo menstrual, aumento do clitóris, voz grossa, diminuição de seios.

No adolescente: maturação esquelética prematura, puberdade acelerada levando a um crescimento raquítico.

O abuso de anabolizantes pode causar ainda uma variação de humor incluindo agressividade e raiva incontroláveis que podem levar a episódios violentos. Esses efeitos são associados ao número de doses semanais utilizadas pelos usuários.

Usuários, freqüentemente, tornam-se clinicamente deprimidos quando param de tomar a droga. Um sintoma de síndrome de abstinência que pode contribuir para a dependência.

tipos de anabolizantes

Ainda podem experimentar um ciúme patológico, extrema irritabilidade, ilusões, podendo ter uma distorção de julgamento em relação a sentimentos de invencibilidade, distração, confusão mental e esquecimentos. Atletas, treinadores físicos e mesmo médicos relatam que os anabolizantes aumentam significantemente a massa muscular, força e resistência. Apesar dessas afirmações, até o momento não existe nenhum estudo científico que comprove que essas drogas melhoram a capacidade cardiovascular, agilidade, destreza ou performance física.

Devido a todos esses efeitos o Comitê Olímpico Internacional colocou 20 esteróides anabolizantes e compostos relacionados a eles, como drogas banidas, ficando o atleta que fizer uso deles sujeito a duras penas.

Os principais esteróides anabolizantes são: oximetolona, metandriol, donazol, fluoximetil testosterona, mesterolona, metil testosterona, sendo os mais utilizados no Brasil a Testosterona e Nandrolona.

Tweet

 Veja Também!

Cocaína – Efeitos

Quanto tempo a cocaína demora para sair do sangue?

Droga Heroína

Heroína – Efeitos

Metanfetamina – Efeitos chocantes

Dados do Artigo:

Anabolizantes – Tipos de drogas
Tipos de drogas
Os anabolizantes são drogas relacionadas ao hormônio masculino Testosterona fabricado pelos testículos. Saiba mais!

Fonte:http://www.antidrogas.com.br/anabolizantes.php

Share

Crack – Tipos de drogas

O crack leva 10 segundos para fazer efeito, gerando euforia e excitação; respiração e batimentos cardíacos acelerados, seguido de depressão, delírio e “fissura” por novas doses. O crack é obtido por meio de uma mistura de pasta de coca ou cloridrato de cocaína com bicarbonato de sódio.

Tweet


Crack – Tipos de drogas

Cinco a sete vezes mais potente do que a cocaína, o crack é também mais cruel e mortífero do que ela. Possui um poder avassalador para desestruturar a personalidade, agindo em prazo muito curto e criando enorme dependência psicológica. Assim como a cocaína, não causa dependência física, o corpo não sinaliza a carência da droga.

 diga nao as drogas

As primeiras sensações são de euforia, brilho e bem-estar, descritas como o estalo, um relâmpago, o “tuim”, na linguagem dos usuários. Na segunda vez, elas já não aparecem. Logo os neurônios são lesados e o coração entra em descompasso (de 180 a 240 batimentos por minuto). Há risco de hemorragia cerebral, fissura, alucinações, delírios, convulsão, infarto agudo e morte.

O pulmão se fragmenta. Problemas respiratórios como congestão nasal, tosse insistente e expectoração de mucos negros indicam os danos sofridos.

Dores de cabeça, tonturas e desmaios, tremores, magreza, transpiração, palidez e nervosismo atormentam o craqueiro. Outros sinais importantes são euforia, desinibição, agitação psicomotora, taquicardia, dilatação das pupilas, aumento de pressão arterial e transpiração intensa. São comuns queimaduras nos lábios, na língua e no rosto pela proximidade da chama do isqueiro no cachimbo, no qual a pedra é fumada.

O crack induz a abortos e nascimentos prematuros. Os bebês sobreviventes apresentam cérebro menor e choram de dor quando tocados ou expostos à luz. Demoram mais para falar, andar e ir ao banheiro sozinhos e têm imensa dificuldade de aprendizado.

A Ação do crack no sistema nervoso

Em uma pessoa normal, os impulsos nervosos são convertidos em neurotransmissores, como a dopamina, e liberados nos espaços sinápticos. Uma vez passada a informação, a substância é recapturada. Nos usuários de crack, esse mecanismo encontra-se alterado. A droga subverte o mecanismo natural de recaptação da substância nas fendas sinápticas. Bloqueado esse processo, ocorre uma concentração anormal de dopamina na fenda, superestimulando os receptores musculares – daí a sensação de euforia e poder provocada pela droga. A alegria, entretanto, dura pouco. Os receptores ajustam-se às necessidades do sistema nervoso. Ao perceber que existem demasiados receptores na sinapse, eles são reduzidos. Com isso as sinapses tornam-se lentas, comprometendo as atividades cerebrais e corporais.crack  

O crack nasceu nos guetos pobres das metrópoles, levando crianças de rua ao vício fácil e a morte rápida. Agora chega à classe média, aumentando seu rastro de destruição.

A maioria dos usuários passa a usar o crack porque ele é mais barato; já uma minoria diz fazer isso para impedir o uso de seringas, que são usadas em outras drogas injetáveis, como a cocaína; para, dessa forma, não pegar doenças sexualmente transmissíveis (DST). 

No entanto, quando a pessoa usa o crack, é comum ela se prostituir, sob efeito da fissura, para obter mais droga. E não usando nenhum método de prevenção, acaba ficando exposta às DST’s, incluindo a AIDS.

A recuperação dos usuários de crack é um dos maiores desafios da sociedade, pois existem estudos que indicam que essa reabilitação é praticamente nula. Além de levar à degradação total de pessoas, até à sua morte, o consumo dessa droga também sustenta um comércio ilegal ligado à criminalidade, que movimenta bilhões de dólares por ano.

Quando há um dependente químico na família é difícil saber lidar com a situação por falta de conhecimento sobre o assunto. Por isso, a melhor opção é se informar sobre o problema para aprender a lidar com o dependente de crack. 

As famílias e as pessoas de convívio sofrem com a dependência do outro e com as dificuldades que enfrentam por causa do problema, e isso gera dor e sofrimento em toda a família.

Para isso o SOS Sobriedade oferece um curso bem simples, de fácil entendimento e de muita importância para as pessoas aprenderem a lidar com a situação e com o dependente de crack.

Tweet

 Veja Também!

Cocaína – Efeitos

Quanto tempo a cocaína demora para sair do sangue?

Droga Heroína

Heroína – Efeitos

Metanfetamina – Efeitos chocantes

Dados do Artigo:

Crack – Tipos de drogas
Tipos de drogas
Cinco a sete vezes mais potente do que a cocaína, o crack é também mais cruel e mortífero do que ela. Saiba mais!

Fonte:
http://www.antidrogas.com.br/crack.php
http://www.antidrogas.com.br/crack.php

Share

Sintomas da fobia social

A fobia social é um transtorno ansioso que pode causar tensões e medo quando a pessoa é submetida à avaliação de outras pessoas. As pessoas que sofrem da fobia social podem apresentar vários sintomas. Confira!

Tweet

Sintomas da fobia social

Os sintomas apresentados pelos sociofóbicos podem variar de intensidade e conforme o estágio que o transtorno se encontra.

sintomas fobia social

Sintomas da fobia social

– Medo de ser julgado;

– Medo de ter atitudes constrangedoras em público;

– Medo de sentir vergonha ou sentir-se ridículo;

Ansiedade diante das situações e relações sociais , às vezes associada também aos ataques de pânico em casos de picos de ansiedade;

Ansiedade antecipatória, isto é, aquela que surge antes de se expor socialmente, só de se pensar na situação temida;

– Alterações fisiológicas como: tensão muscular, sudorese, rubor facial, dificuldade para falar (voz trêmula e voz presa), mal estar abdominal, mãos e corpo trêmulos, falta de ar e sensação de frio no peito, boca seca, palpitações, vontade frequente de urinar, perda de assuntos sociais devido à preocupação excessiva, entre outros;

– Vontade de fugir de situações que terão que ser enfrentadas ou que já estão acontecendo. O sociofóbico tende a esquivar-se na tentativa de se proteger se situações, que para ele são aversivas e constrangedoras;

– Angústia;

– Podem vomitar em situações de estress;

– Perturbação do pensamento;

– Pensamentos negativos a respeito de sua conduta e comportamento frente às pessoas, o que leva a aumentar a ansiedade;

– Medo de ficar vermelho, sem jeito e com dificuldade de se expressar para as pessoas.

– Isolamento social.

Estes sintomas influenciam diretamente no comportamento das pessoas que sofrem de fobia social.

 sintomas fobia social

O comportamento do sociofóbico

O comportamento do sociofóbico passa então por:

– Temer falar em público

– Ter vergonha de comer ou beber em público

– Evitar a todo o custo participar de festa

– Ficar nervoso ao escrever em público

– Medo de olhar as pessoas nos olhos

– Medo de falar/iniciar uma conversa

– Exitar em fazer chamadas telefônicas

– Evita dar ou defender as próprias opiniões

– Medo de encontrar-se com pessoas desconhecidas ou até mesmo com alguem que já conheça mas que não tenha grande contacto

– Temor de estar em espaços fechados onde há muita gente (como supermercados, hospitais, transportes públicos…) e até mesmo em andar em ruas movimentadas

– Medo de ser apresentado a outras pessoas e de fazer amizades

– Fica ansioso perante grupos de pessoas e fica ansioso antes também, só de pensar que terá que se socializar.

– fica vermelho com certas situações que ele considera constrangedora.

– Começa a tremer e ter palpitações.

– Temor de ser observado e avaliado negativamente por outros.

– Temor de ser visto como fraco, ansioso, louco ou estúpido.

– Temor de que as próprias opiniões possam não interessar aos outros.

– Temor de não estar em estado de comportar-se de modo adequado em situações sociais.

– Prefere o isolamento, para não ter que passar por situações que o deixam constrangido e com a sensação de estar sendo julgado.

A  tímidez natural pode se tornar fobia social posteriormente e quando não tratada representará um fator limitante na vida pessoal e profissional.
por Rodrigo Longo

Tweet

Veja!

Fobia Social

Como controlar a fobia social!

Veja Também!

Ansiedade – Causas, sintomas e tratamentos

Ansiolíticos – Tranquilizantes e relaxantes

Gestão interior – Cuidando da reforma íntima

Dependência emocional – Muletas psicológicas

Cura espiritual


Dados do Artigo:

Sintomas da fobia social
Psicologia e as doenças

A fobia social é caracterizada por sintomas de intensa ansiedade, tensão e medo entre outros. Saiba mais!

Fonte: http://datimidezafobiasocial.blogspot.com.br/2010/06/o-que-sente-o-sociofobico-afinal.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fobia_social#Sintomas
http://www.psicosite.com.br/tra/ans/anssocial.htm

Share

Emoções negativas – Tudo começa com a ignorância!

Um conjunto de escolas budistas chamadas de Vajrayana diz que sempre que uma emoção surgir, apenas observar e não fazer nada, ou seja, não produzir efeito nenhum. Não produzir efeito nenhum significa não fabricar nada, parar de fazer qualquer coisa e tentar observar a emoção. O problema é que a maioria de nós tende a não observar as emoções, mas sim segui-las. Sentimos desejo e seguimos os nossos desejos, sentimos raiva e seguimos a nossa raiva ou no máximo a reprimimos.

Tweet

Emoções negativas – Tudo começa com a ignorância!

No texto “A ilusão de ótica das emoções” o ser humano que não compreende e não tem um contanto íntimo e reflexivo com as suas emoções, é levado pelo fluxo emotivo desenfreado e não observa com senso crítico as emoções, seguindo suas aparências ilusórias sem pensar. Sentimos desejo e seguimos os nossos desejos, sentimos raiva e seguimos a nossa raiva ou no máximo a reprimimos. A ignorância a respeito das nossas emoções nos leva a vivermos uma ilusão de ótica do que as emoções aparentam ser, e não entendermos qual é o real significado das emoções na nossa vida.

psicologia e emocoes

E o que fazer para lidar com as emoções?

Despertar a consciência!

No primeiro momento, apenas observe e no momento que você olha para a emoção ela desaparece. Muitos vão perceber que ela reaparece bem rápido, mas isso é devido à falta de prática. O importante é que, mesmo que ela desapareça por uma fração de segundos, ela desapareceu e com isso o entendimento e a sabedoria despertaram. Isso se chama “conhecer”.

“Conhecer” a emoção significa compreender que já que ela não tem nenhuma raiz, não existe e nunca existiu essa emoção. Ela é somente o fruto de nossas interpretações e entendimentos distorcidos dos estímulos externos.

A ausência desta “consciência desperta” chamamos de ignorância e é dessa ignorância que surgem as emoções.

Há uma variedade de emoções que são frutos de nossa ignorância. As mais comuns que conhecemos e estamos familiarizados são o amor, o ódio, a culpa, a inocência, a devoção, o pessimismo, a inveja, o orgulho, a vergonha, a tristeza, entre muitas outras. Algumas culturas têm palavras para designar certas emoções que não têm definição em outras culturas e, portanto, não existem. Em algumas regiões da Ásia, não há uma palavra que designe o amor romântico, ao passo que os espanhóis têm várias palavras para identificar diferentes tipos de amor.

emocoes negativas

A variedade de emoções

Segundo os budistas, há inúmeras emoções que ainda não foram nomeadas em nenhuma língua, e uma quantidade ainda maior de emoções que não se enquadram nas possibilidades de definição do nosso mundo lógico. Algumas emoções são aparentemente racionais, mas a maioria delas é irracional.

Existem emoções que têm como base a agressividade, outras podem ser infantis, como por exemplo, sentir raiva de uma pessoa que não está com raiva, quando você acha ou queria que ela estivesse. Ou então, uma pessoa que reclama do ciúme possessivo do companheiro(a) e no outro dia reclama por que ela não tem ciúme e age com indiferença.

Algumas emoções se manifestam sob a forma de arrogância, como no caso de certos líderes políticos que impõem ao mundo suas ideias de liberdade, obrigando os outros a aceitarem seus pontos de vista pessoais por meio da força, chantagem, manipulação, etc.

Religiões também demonstram emoções impositivas e intolerantes tentando converter ateus e livrá-los do fogo do inferno.

As emoções podem se manifestar como um orgulho ridículo, como no caso de pessoas extremamente patriotas que se sentem donos da verdade em épocas de guerras e confrontos.

As emoções podem ser doentias e pervertidas, levando à pedofilia e bestialidade, como por exemplo, os casos de masoquismo, torturas, estupros, etc.

espiritualidade

Todas essas emoções e suas consequências originam de uma compreensão equivocada e da ignorância, fruto do nosso apego ao eu. O apego ao eu perpetua a ignorância que leva o ser humano a distorcer a visão de realidade das coisas. A forma como vivemos a vida depende de como percebemos a nossa pessoa, o nosso eu, assim se essa percepção estiver errada, o que é bem provável, todos os nossos pensamentos, nossas ações e comportamentos também estarão distorcidos. Nestas condições o sofrimento é a consequência.

A partir do momento que percebemos os danos que estas emoções podem nos causar, e que desejamos não sermos mais escravos de nossas emoções, a nossa consciência desperta e se amplia, e aos poucos, vamos buscando o autoconhecimento. O que nos impede de viver são a ignorância, o medo e o sofrimento; o entendimento e o saber tornam a vida mais plena.

por Rodrigo Longo

Tweet

 Veja Também!

A ilusão de ótica das emoções!

Meditando as nossas emoções – Superando as emoções negativas!

Desintoxicando-se dos pensamentos, sentimos e emoções venenosas

Confusão Mental – A prisão do ego

Gestão interior – Cuidando da reforma íntima

Dados do Artigo:

Emoções negativas – Tudo começa com a ignorância!
Psicologia e saúde emocional

Há uma variedade de emoções que são frutos de nossa ignorância. As mais comuns que conhecemos e estamos familiarizados são o amor, o ódio, a culpa, a inocência, a devoção, o pessimismo, a inveja, o orgulho, a vergonha, a tristeza, entre muitas outras.Saiba mais!

Fonte:
http://budavirtual.com
Psicólogo Marco Aurélio Bilibio
http://www.youtube.com/watch?v=gG75OPKc3-c

Share

A ilusão de ótica das emoções!

Desde que o homem habita o planeta ele se ocupa em suprir as suas necessidades, de modo que consiga alcançar o único objetivo de sua vida, a felicidade. Buscar a felicidade e eliminar o sofrimento é a maior preocupação do homem, que através do trabalho sacia as suas necessidades de prazer, conforto e segurança.

Tweet

A ilusão de ótica das emoções!

Conquistar espaço, produzir e consumir em grande escala, adquirir riquezas, cuidar da saúde, entre outras buscas incessantes do homem, são para prevenir a expectativa do sofrimento e alcançar a felicidade. O homem procura sinais de sofrimento e quando encontra, tenta afastá-lo, e para isso há muita preocupação em descobrir novas técnicas de medicina, tecnologia, livros de autoajuda e outros recursos que ofereçam soluções para combatê-lo.

emocoes

Para o budismo as nossas emoções são as grandes causadoras do sofrimento humano e que, de um jeito ou de outro, direta ou indiretamente, as nossas emoções nascem do egoísmo, e que elas estão relacionadas ao apego que o homem tem de si próprio.

O psicólogo Marco Aurélio Bilibio diz que as emoções são respostas interiores do nosso ser a estímulos externos, são as nossas experiências mais íntimas que se constituem e se manifestam baseadas na nossa história, experiências vividas e no conjunto de crenças e valores.

Quando percebemos que alguém ou alguma situação pode nos prejudicar e violar a nossa segurança, somos tomados por determinadas emoções. No momento que aceitamos essas emoções e que entramos no jogo delas, perdemos a sanidade e a capacidade de percepção. Isso gera tensão elevada e pode se repetir toda vez que uma emoção coloca o nosso eu em risco. O resultado disso é o sofrimento.

emocoes negativas

Foi então que os budistas perceberam que para lidar melhor com as emoções e eliminar o sofrimento é preciso estar com a consciência desperta. Acordar a consciência e estar atento às emoções para que possamos lidar melhor com elas e não sermos envolvidos pela tensão e agitação que elas criam.

Se observarmos com atenção determinada emoção durante o seu processo de desencadeamento vemos que o seu efeito dependerá da nossa percepção. Como as emoções estão relacionadas a formação do nosso ser e com as experiências vividas, crenças e valores, então fica claro que nos equivocamos com relação a elas, pois cada ser humano é único e formado por experiências, crenças e valores diferentes. Fazemos uma compreensão equivocada das emoções.

Toda emoção não desperta pela consciência, são basicamente uma forma de preconceito e há sempre um componente de julgamento. Por exemplo, quando vamos ao teatro e vemos uma peça em que um homem é preso por um cabo de aço suspenso e o fundo do palco é todo escuro. As crianças inocentes acham aquilo sensacional e divertido, pois acreditam estarem vendo um homem voar pelo teatro, elas não conseguem perceber o truque e acreditam que o que vêem é real, mas para nós adultos é apenas uma ilusão de ótica.

emocoes negativas

Do mesmo que as crianças inocentes foram arrebatadas pela ilusão de ótica, somos arrebatados por inúmeras ilusões na nossa vida, como crianças inocentes que não compreendem o todo, mas enxergamos somente as partes isoladas baseadas em julgamentos e pré-conceitos.

Olhamos para o nosso corpo e vemos somente o corpo físico e esquecemos que todo ser é dotado de corpo físico, mental, emocional e espiritual. Assim, buscamos o tempo todo satisfazermos somente o corpo que enxergamos e entendemos, desejando ter um abdômen definido, rostos lindos, corpo sarado, etc. Como as crianças que se emocionam com a ilusão de ótica do homem voador, nós somos iludidos pelas emoções que são provocadas pela aparência e pelo bem-estar do nosso corpo.

Assim, o ser humano que não compreende e não tem um contanto íntimo e reflexivo com as suas emoções, é levado pelo fluxo emotivo desenfreado e não observa com senso crítico as emoções, seguindo-as sem pensar. Sentimos desejo e seguimos os nossos desejos, sentimos raiva e seguimos a nossa raiva ou no máximo a reprimimos. É preciso despertar a consciência para não viver a ilusão de ótica do que as emoções aparentam ser, e entender qual é o real significado das emoções na nossa vida.

por Rodrigo Longo

Tweet

 Veja Também!

Emoções negativas – Tudo começa com a ignorância!

Meditando as nossas emoções – Superando as emoções negativas!

Desintoxicando-se dos pensamentos, sentimos e emoções venenosas

Confusão Mental – A prisão do ego

Gestão interior – Cuidando da reforma íntima

Dados do Artigo:

A ilusão de ótica das emoções!
Psicologia e saúde emocional
Olhamos para o nosso corpo e vemos somente o corpo físico e esquecemos que todo ser é dotado de corpo físico, mental, emocional e espiritual. Saiba mais!

Fonte:
http://budavirtual.com
Psicólogo Marco Aurélio Bilibio
http://www.youtube.com/watch?v=gG75OPKc3-c

Share

Ecstasy – O que é e seus efeitos!

Chamada também de “droga do amor”, “balinha”, “Adam”, entre outros nomes o ecstasy é um derivado sintético da anfetamina, conhecida com 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA). Pode ser classificado tanto como um estimulante como também um alucinógeno.

Tweet

Ecstasy

O que é?

O ecstasy é uma droga que provoca distorções no funcionamento cerebral, causando alteração da percepção dos sentidos e do funcionamento do organismo como um todo.

o que e ecstasy

A droga foi criada em 1914 na Alemanha por pesquisadores que queriam fabricar um moderador de apetite, mas nunca foi comercializada. A década de 70 usavam o ecstasy para tratamento psicoterápico, mas devido aos abuso e aos efeitos colaterais que a droga causava passou a ser proibida.

O efeitos do ecstasy

tipos de drogasA droga pode provocar de euforia, desinibição, ansiedade e intensa  sensação de sociabilidade podendo também oscilar e causar efeitos contrários de paranoia, pânico e depressão. Os efeitos surgem após 20 a 60 minutos e além dos efeitos psíquicos, causa efeitos físicos como aumento da pressão arterial, aceleração dos batimentos cardíacos, diminuição do apetite, pupilas dilatadas e boca seca, O metabolismo acelera e a temperatura do corpo aumenta chegando até 40º. Por isso os usuários de ecstasy tomam muita água.

 

Outros efeitos que podem ocorrer são a taquicardia , hipertensão (pressão alta), tremores, trismo ou bruxismo (rigidez na mandíbula), diminuição do apetite, insônia, náusea, cefaléia (dor de cabeça)e sudorese.

Após um mês de uso, podem aparecer: distúrbios de pânico, psicose, depressão, flashbacks e distúrbios da memória. O êxtase, a longo prazo causa toxicidade em neurônios serotonérgicos, incluindo danos permanentes no Sistema Nervoso Central, cérebro e desordens neuropsiquiátricas.

Os efeitos residuais, que podem persistir por até 2 semanas incluem: insônia, fadiga, tontura, dores musculares, depressão, ansiedade, pânico, insônia e flashback.

Quais são os problemas causados pelo ecstasy?

drogas ilícitasEm casos de overdose, podem ocorrer arritmias cardíacas, taquicardia, palpitação, hipertensão arterial seguida de hipotensão, hipertermia fulminante (acima de 42°C), coagulação intravascular disseminada, insuficiência renal aguda, hepatotoxicidade e morte.

O ecstasy causa dependência!

O ecstasy é uma droga que causa dependência física e psíquica e induz a tolerância orgânica, onde o usuário aumenta o consumo e a frequência de uso para obter o mesmo efeito.

por Rodrigo Longo

Tweet

Veja Também!

Metanfetamina – Efeitos chocantes

Cocaína – Efeitos

Quanto tempo a cocaína demora para sair do sangue?

Maconha – Efeitos colaterais

Droga Heroína

Dados do Artigo!

Ecstasy – O que é e seus efeitos!
Tipos de Drogas

Chamada também de “droga do amor”, “balinha”, “Adam”, entre outros nomes o ecstasy é um derivado sintético da anfetamina e pode ser classificado tanto como um estimulante como também um alucinógeno. Saiba mais!

Fontes:
http://www.antidrogas.com.br/lsdecstasy.php
http://psicoativas.ufcspa.edu.br/extase.html

Share

Como controlar a fobia social

Caracterizada pela intensa ansiedade e pelo medo de ser avaliado por outras pessoas e de ser humilhado publicamente, a fobia social é um transtorno que dever ser tratado para que a pessoa possa ter controle frente às situações que ela teme passar por constrangimentos. Veja algumas dicas para controlar a fobia social!

Tweet

Como controlar a fobia social


Primeiramente, sabemos que, como toda doença é necessário que a pessoa que sofre de fobia social procure um especialista para auxiliá-la no tratamento. Mas existem maneiras simples e eficazes para driblar esse medo intenso.

como controlar a fobia social

Para combater o medo de falar em público, por exemplo, pode começar a falar para pequenos grupos de pessoas, de preferência para familiares e amigos.

O mais importante para o tratamento é admitir que sofre de fobia social, para depois avaliar os sintomas. Assim, pode-se começar a tratar dos sintomas físicos, tentar identificar as situações que a pessoa teme e o seu comportamento perante estas situações.

Criar e simular situações em que o medo aparece, de maneira que a pessoa possa, aos poucos, perder o medo e se sentir mais a vontade no meio das pessoas. Trabalhos voltados a reforçar a autoestima do paciente também são importantes, com a finalidade de diminuir a cobrança exagerada que ele tem de si mesmo.

como controlar a fobia social

Outra alternativa pode ser um exercício que consiste em resignificar situações e percepções do sociofóbico, que permite que ele comece, aos poucos, ir percebendo os seus medos e entendendo que eles não estão relacionados com as pessoas, mas consigo mesmo.

por Rodrigo Longo

Tweet

Veja!

Fobia Social

Sintomas da fobia social

Veja Também!

Ansiedade – Causas, sintomas e tratamentos

Saúde – 7 alimentos que combatem a ansiedade

Ansiolíticos – Tranquilizantes e relaxantes

Cura Espiritual

Dependência emocional – Muletas psicológicas

Dados do Artigo:

Como controlar a fobia social
Psicologia e as doenças

O mais importante para o tratamento é admitir que sofre de fobia social, para depois avaliar os sintomas. Saiba mais!

Fontes:
http://www.uniara.com.br/ageuniara/artigos.asp?Artigo=397
http://datimidezafobiasocial.blogspot.com.br/2010/06/o-que-sente-o-sociofobico-afinal.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fobia_social#Sintomas
http://www.psicosite.com.br/tra/ans/anssocial.htm

Share

Fobia Social

A fobia social é caracterizada pela intensa ansiedade causada por momentos de tensão e medo quando a pessoa é submetida à avaliação de outras pessoas. O sociofóbico entende que seus medos são excessivos e irracionais, mas não consegue enfrentar tais situações sociofóbicas, o que o leva a evitá-las.

Tweet

Fobia Social

fobia socialDurante as situações temidas é comum nos sociofóbicos a sensação de que os outros os estão julgando e temem serem chamados de ansiosos, fracos ou estúpidos. Por conta disso, tendem frequentemente a se isolarem.

 sintomas da fobia social

As pessoas com ansiedade social são pessoas excessivamente preocupadas com o julgamento alheio, com a opinião dos outros a seu respeito, são perfeccionistas e determinadas. Assim, as pessoas portadoras da fobia social costumam ser muito responsáveis, se cobram muito, tem um bom desempenho profissional e tem dificuldade em lidar com fracassos e frustrações por medo de não corresponderem às expectativas dos outros.

Estudos apontam fatores sociais, estilos de vida e formas de convívio entre as pessoas que podem causar a fobia social. Estes fatores estão relacionados como papel familiar, como por exemplo, educação autoritária, superprotetora e pais inseguros predispõe a fobia social. Também pode haver a influência de experiências traumáticas, geralmente na infância.

por Rodrigo Longo

Tweet

Veja:

Sintomas da fobia social

Como controlar a fobia social!

Veja Também!

Ansiedade – Causas, sintomas e tratamentos

Saúde – 7 alimentos que combatem a ansiedade

Meditando as emoções – Superando as emoções negativas!

Confusão Mental – A prisão do ego

Dados do Artigo:

Fobia Social
Psicologia e as doenças

A fobia social é caracterizada pela intensa ansiedade causada por momentos de tensão e medo quando a pessoa é submetida à avaliação de outras pessoas. Saiba mais!

Fonte: http://datimidezafobiasocial.blogspot.com.br/2010/06/o-que-sente-o-sociofobico-afinal.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fobia_social#Sintomas
http://www.psicosite.com.br/tra/ans/anssocial.htm

Share

Servir ao próximo – A terapia que liberta

A instrução é a base para que possamos transmitir ao próximo o conhecimento adquirido, a fim de promover o bem comum. Eis a máxima que ilumina todos os seres que caminham rumo à libertação de todos os males que adoecem o ser e promovem o desequilíbrio do ambiente.

Tweet

Servir ao próximo – A terapia que liberta

terapia caridade

Compreender e fazer compreender é a luz que irá libertar-nos dos nossos cárceres pessoais e dar a oportunidade de outras pessoas fazerem o mesmo. Servir o próximo é clarear outras mentes para que elas possam fazer aos outros o que fizeram por nós. Assim, a sabedoria é transmitida progressivamente até que ninguém mais poderá dizer que viveu no escuro.

espiritismo

Servir ao outro é um processo mútuo e de retroalimentação, pois para servirmos ao próximo, muitas vezes precisamos da orientação de seres mais elevados que nos dão sabedoria e discernimento para a  missão de servir, como consequência, o ser servido tomado de profunda gratidão servirá outros até que numa progressão incentivadora de bondade, o ambiente interno e externo se harmonizará, diante das forças fraternas e de solidariedade que mobilizará todos os seres em um ato coletivo de fazer o bem em prol de toda criatura. O resultado disso tudo é a paz de espírito e a felicidade.

por Rodrigo Longo

Tweet

Veja Também!

Reforma íntima

Gestão interior – Cuidando da reforma íntima

Pratique a caridade!

Escolhendo a simplicidade

Meditando as nossas emoções – Superando as emoções negativas!

Dados do Artigo!

Gestão interior – Cuidando da reforma íntima
Espiritualidade

Servir ao próximo é um processo mútuo de ajuda e de retroalimentação interior e o maior beneficiado somos nós. Saiba mais!

SILVA, Alayde de Assunção – Novas mensagens de Luiz Sérgio – 16ª ed. – Brasília: Livraria e Editora Recanto, 1996.

Share